Motivação para TREINO

Este post foi colocado no Mundo Realista e estou reproduzindo aqui:

Eu passo o inferno na terra por causa dos meus treinos. Não quero me destacar por isso, como pude perceber quando meu ask lotou de perguntas referentes a tal, apesar de gostar de treinar não gostaria de me definir somente como contribuidor de tal em um meio que me foi tão prolífico em alguns aspectos da vida.

Mas é revoltante ver um tópico com tamanho potencial, datado de 2012, com tão poucas contribuições, enquanto um tópico sobre “A Real sobre bombados” cheio de mimimi, chororô e análise até da cueca dos garotões que infestam academias lota de acessos e adendos.

Há gente por aí que literalmente passa fome para treinar. Que entre treinar e ficar com fome, prefere a segunda opção. Não é questão de catabolisar ou não: são as condições. E está lá o cara, crescendo, se tornando melhor, a mente afiando com o corpo e a dor destruindo cada centímetro de vaidade e preguiça.

Há quem treine mesmo com dor, com febre ou lesionado. O treino ultrapassa a razão: é lá onde ele entra no seu mundo. Muitos estudam por anos, vêem gurus e visitam lugares paradisíacos para entrarem em transe e adquirir paz mas, aquele cara, porra, no quintal da sua casa entra no nirvana enquanto faz suas flexões, barras e agachamentos. Sem peso, sem frescura, sem contar. Só a dor, o suor e a vontade.

Até hoje, de todos os artigos que li, os que mais me fizeram crescer foram os motivadores. Aqueles como o Ferro de Rollins, que tiram a porra toda de dentro de você, que fazem você transformar miséria em sucesso, raiva em combustível para seus sonhos. São estes tipos de tópicos ou artigos que me fizeram fazer loucuras e conhecer outros loucos. E dizer adeus às regras e abraçar o medo.

E aí se vão todas as teorias – você vai ficando afiado. Vai conhecendo caras que viveram o inferno na terra e, mesmo sem ter estudado tanto ou conhecido todos os expoentes da cultura dos treinos, são demônios. Eles levantam pesos como se fossem cotonetes, levam socos como se fossem beijos e, no final de tudo, quando a idade vem tomar o que conquistaram, riem da porra toda.

Eu digo que não entendo como um tópico deste está vazio, mas no fundo eu sei: é pelo mesmo motivo que as academias estão lotadas e os CT’s idem – o que vende é a imagem, a fala mansa e o papo bonito.

É mais fácil assistir UFC e fazer seu treinozinho de 1 hora em uma academia badalada do que lutar com um parceiro de treino no quintal. É mais bonito falar de todas as técnicas oriundas do FST do que simplesmente se apegar ao quanto de dor você aguenta e o quanto de comida você mete para dentro na proporção de queimar tudo. É melhor se preocupar com a beleza corporal do que o fato de você aguentar ou não correr pra valer, porque você está com muito medo dos seus joelhos estourarem na areia da praia ou no cimento vagabundo das ruas.

Eu comecei a treinar porque queria ser forte. Passei por todas as fases, de ficar noiadinho com meu peso e ficar contando calorias até planejar treinos. Hoje o que eu procuro fazer é simplesmente começar a treinar e sair rastejando. E se posso fazer isso duas vezes no dia, eu faço. Sim, devo catabolizar como o inferno, deve acontecer muita merda.

Foda-se, eu me sinto muito bem. Bem pra caralho.

Anúncios

5 pensamentos sobre “Motivação para TREINO

  1. Tu pode achar que sou um bajulador, posso trocar de nick mas o e-mail sempre mostra quem sou, mas a verdade é que admiro sua escrita, você realmente consegue transmitir motivação,além de ter um conteúdo totalmente original e novo que nos direcionam a ir além. O facebook é lotado de páginas que dizem fazer conteúdo “masculinista e de desenvolvimento pessoal”, mas tudo que fazem é colocar uma foto do Jason Statham, Bruce Willis,Leônidas com algum frase clichê,tudo isso por meia duzia de “likes”. Se você quisesse poderia ganhar fama e entrar nessa onda de vender livros de autoajuda “machistas/masculnistas” ou fazer publicidade do blog e ganhar adsense. Mas fazendo isso ou não, você é um dos poucos que parece ter vivido e ainda viver tudo aquilo que passa aqui,seus textos já me ajudaram bastante,assim como o ask. Obrigado e continue assim.

    • Basílio, eu sei quem você é e digo profundamente: obrigado.

      Apesar de minha escrita contar erros crassos de português pela pressa que eu tinha em expressar minhas ideias enquanto eu convivia no cotidiano com minha vida pessoal, eu sempre procurei organizar minhas crenças de forma que inspirassem as pessoas, que passassem a mesma paixão que eu detinha dentro do peito e que as levasse além.

      Eu entendo que, no meio deste mar de pessoas, muita coisa é lama. Mas seu objetivo é sobrepor isso, filtrar o que é bom e absorver o mal de forma a entendê-lo para que mantenhas o equilíbrio, aquela linha tênue que risca o perigo de sermos bons ou canalhas e seguir em frente, como a metáfora da Lótus que em outro artigo eu denotei em prosa.

      Verdade, eu até me acho com cacife para angariar fama, posto que, ao menos, me interesso profundamente pelas pessoas e quero vê-las evoluindo. Mas também acho que, se eu me dedicasse em torno da fama, eu teria que viver disso e não é meu objetivo. Meu objetivo é ajudar de graça, o máximo que posso, enquanto houver fôlego nestes pulmões, porque, oras, eu sempre sonhei em conhecer pessoas que se sacrificavam pelo próximo então tento pelo menos ser uma.

      Eu não quero vender livros, tampouco fama. Até me considero extremamente negligente com todos porque não estou tendo mais disposição para escrever em face de uma montanha de adversidades que me propus a enfrentar para chegar em um patamar melhor de vida, mas um dia voltarei e tentarei escrever mais textos e ajudar mais gente, mas preciso deste tempo para aprender, para me renovar, para poder dizer-lhes: ‘Eu fui, lutei, vivi e agora posso falar’, porque fala macia sem sofrimento não ajuda ninguém, só angaria sofrimento e manipula os sofredores em torno do domador de ratos.

      Posso um dia pagar a boca com tudo que disse aqui, mas, por ora, é como eu visualizo a questão. Que os céus me ajudem a nunca precisar ganhar com o que estou ajudando e que me proporcionem vida ampla em dificuldades e oportunidades para eu poder sempre ajudar alguém depois do derradeiro combate, e só.

      Obrigado pela admiração, eu não esqueci de você.

      Abraço!

  2. Eu, que compartilho dos mesmos sentimentos em relação ao treino, não tenho nada a acrescentar.

    Impecável.

    Só venho pedir permissão para reproduzir no meu blog, com os devidos créditos. Tudo bem?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s