Qual a medida do sofrimento masculino posto pela Real?

A medida do inferno masculino é dito pelo homem.

É por isso que os livros de NA querem mais dizer sobre o auto-desenvolvimento que o mundo feminino. Não somos repórteres da Contigo, nem vamos alinhar o signo do cara com a dita cuja. A Real é sobre o cara se desenvolver como ser humano, se controlar e preservar sua vida, seu orgulho e seu legado.

Por enquanto, os homens – principalmente brasileiros – estão mais preocupados em afogar o pau por aí e, se não conseguem, se matam para obterem status para tal. É complicado ver que o crescimento não é procurado pelos meios, mas PELOS FINS: o cara antes de trabalhar o mês já checa na carteira o dinheiro. Discute-se mais o salário do que o que a empresa pode lhe oferecer e o que você pode oferecer a empresa – é para isso que precisa de tantos títulos no currículo. O pensamento que levou a homens que não tinham nada para a prosperidade que o ocidente tanto venera está se acabando em uma geração de almofadinhas: trabalhar em escritório virou mais status que só mais um ambiente de trabalho. Vejo vagabundos que não aguentam pegar um sol na cara, conhecer um cliente pessoalmente, debater melhorias ou dar a cara tapa porque é mais seguro ficar com a cara de c* na frente do computador reclamando da vida enquanto fica com o facebook em modo privado.

Tanto os realistas quanto os que adentram na Real, façam uma auto-análise e se perguntem: estou me dedicando com FERVOR? TENHO BRIO NO QUE FAÇO?

Significado de Brio

s.m. Sentimento de amor-próprio; expressão de honra e dignidade; valor: o time teve brio e obteve a vitória com determinação.
Característica da pessoa que é corajosa; coragem: lutou com brio.
Em que há vigor e energia; disposição: perdeu o brio e desistiu.
Em que há elegância; garbo: escrevia com brio.
(Etm. do céltico: brigos)

O cara pula o primeiro livro técnico que dá dor de cabeça porque é muito complicado. Não adentra religião porque é trabalho pensar sobre a parte espiritual da vida. Não lê a Bíblia porque uma dúzia de modernistas disseram que é um conto de fadas. Ri de um realista que cita Chesterton por causa de alguma postura dogmática, mas não tem coragem de lê-lo para formar argumentos sólidos contra. Leu 270 páginas de Maquiavel em versão de bolso da L&PM com marca-texto para impressionar os amigos, mas reclama quando alguém lhe passa a perna seja na vida pessoal, seja nos negócios. Oras, não idolatra o convencionalismo?

Ama o capitalismo, mas odeia a sujeira. O trabalho duro. O começar de baixo, com salário vagabundo, fazendo trabalho pesado. Mas esquece que homens como Schultz (CEO da Starbucks), DeJoria (que já morou em um carro e vendia seus cosméticos de porta em porta) ou até o Ralph Lauren, que já foi balconista de uma loja de livros, se ferraram para chegar onde estão. Isto que não vou perder meu tempo falando de lutadores, como GSP (Saint Pierre) que tinha dois empregos temporários para PAGAR OS TREINOS. É meu amigo, você não vai começar a vida na fama, no sucesso, não importa quantas revistas Forbes leia e quantos posts da Real estude. É se ferrar mesmo e ter a resiliência de continuar sendo bom mesmo com toda a sujeira na cara. Sem moleza, sem corpo mole, sem choro.

Um dia parei para perceber que maioria dos estagnados na minha empresa não mexiam um dedo. Faziam o que sabiam, o que “podiam”, batiam o ponto incrivelmente na hora certa, no minuto certo. São pessoas de rotina, mas da rotina estafante de que é melhor não trocar o certo pelo duvidoso. Que é melhor o salário sem stress no final do mês que mais um pouco com dor de cabeça. O capitalismo cresceu, mas criou também a geração da INEPTOCRACIA. Todos os dias vemos ávidos consumidores e afogadores de endorfina, mas que não aguentam um dia de sofrimento. Entram em comunidades da Real procurando facilidades, dicas de como pegarem mulheres mais fácil, motivacionais para segurarem os momentos difíceis e um pouco de convivência entre si para esquecer um pouco a vida. Vou repetir: Isso não traz NADA de edificante. Vocês só estão se enganando.

Force-se ao desconforto e outra: motivação não é o que move um homem, mas DISCIPLINA. Aprendi isso com meu avô e até hoje lembro que cada ato seu era repetido para virar hábito com o objetivo de finalizar seu dia da forma mais proveitosa possível. Acorde cedo, durma cedo, trabalhe pesado, estude com fervor, sangue nos olhos de aprender e desenvolva-se moralmente para não virar um zumbi sem coração puramente materialista, afinal, tudo debaixo do céu é passageiro, lembre-se disso.

A medida do sofrimento masculino é posto por si próprio, em colocar ansiedade nas coisas que não convém e que não estão aptas para serem alcançadas agora. Não neste exato momento. Para um atleta olímpico anos são vividos para resumirem aqueles minutos de luta, de apresentação,  de demonstração. ANOS. PORQUE DIABOS VOCÊ ACHA QUE VAI ACORDAR SENDO O PIC@S DAS GALÁXIAS SÓ PORQUE CONHECEU A REAL?

Você vai continuar sendo o que sempre foi, a vida como ela é e somente sua perspectiva mudou. Agora mexa essa bunda e faça suas ações valerem a perspectiva que a Real te deu. Tenha orgulho. Tenha VERGONHA NA CARA. TENHA BRIO.

De nada adianta a Real mostrar que somos inicialmente ratos e que temos potencial de leões se não saímos das rodas de hamster.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s