Qual o motivo de se fazer qualquer coisa?

Perguntou um anônimo cansado da vida. Eis minhas considerações:

R: Significado próprio.

Sua vida não é nada mais que uma poeira cósmica de irrelevância suprema que depende somente de ti para ter alguma em sentido microcósmico.

Se você próprio, portador de tal fenômeno – que para o Universo não dura praticamente nada – não está se importando com tal perspectiva de sustentação da sua camada existencial, quem deveria?

Envergonhe-se de possuir uma chance no mundo com consciência plena de suas vicissitudes e limitações e cresça a ponto de permitir-se desafiar e lutar pelo seu bem estar – é o mínimo.

Anônimo: Dada as limitações impostas a uma pessoa comum, é realmente correto afirmar que é possível sequer desafiar, quiçá vencer e dar um significado por menor que seja a esta ínfima e insignificante camada existencial? não seria a vitória apenas uma ilusão?

R: Não, porque dentro dos seus próprios objetivos e limitações, ultrapassar-se é a pura realidade, que só morre quando sua importância acerca de si próprio se esvai ou quando você morre.

A questão não é se o Universo ou alguém se importa ou se você realmente muda alguma coisa na ampla roda existencial chamada Infinito, mas sim se você está realmente aproveitado seu processo de vida para aproveitar as sensações oriundas de melhorar como ser humano.

Basicamente, viver o presente, basicamente, ser grato por cada segundo de sensações em um invólucro de carbono, soberbamente, continuar.

Por que parar é um luxo para quem possui a habilidade de mover-se. É punhetação mental dos quem têm muito, mas não valorizam.

A vitória, bem como qualquer símbolo de comprovação disso, só vale e deve valer para ti. É só isso que deve se preocupar. Se um troféu lhe traz felicidade pela carga oriunda de uma gama de processos que viveu, isso já vale, já basta, é a verdadeira vitória acerca das suas próprias limitações mentais.

O Universo não liga para você, mas você pode ligar. E esta é a única coisa que interessa profundamente.

———–

Não deixem que o vazio existencial no centro de vossos corações mate a esperança, apesar de muitos filósofos e grandes homens a considerarem um mal, eu considero uma dádiva, que nos mantêm firmes em frente as adversidades. Eu desejo do fundo do coração que cada um de vocês tente firmemente em cada aspecto de vossas vidas, sem abaixar a cabeça em momento algum e, se abaixarem, seja para respirar para o próximo passo, aventura ou ataque.

Não esqueci de alguns que me pediram podcasts, alguns assuntos que possuem dúvidas e prometo logo mais postar algo longo que responderá a maioria.

Importante que dado aonde postei, talvez alguns digam que estou apelando para a quebra de ‘anonimato’ (mesmo sendo de um fake), eu mesmo me questionei acerca de tal, mas é um lugar onde me sinto à vontade de ajudar alguns e tal tópico me soou demasiado importante para postar aqui para quem me acompanha.

Att.

Azoth

 

Anúncios

6 pensamentos sobre “Qual o motivo de se fazer qualquer coisa?

  1. “O lugar insignificante que ocupo é tão minúsculo em comparação com o resto do espaço em que não estou e onde não se importam comigo. A parcela de tempo que hei de viver é tão ridícula em face da eternidade, onde nunca estive e nunca estarei… Neste átomo, neste ponto matemático, o sangue circula, o cérebro trabalha e quer alguma coisa… Que estupidez! Que inutilidade!”

    Ivan Turgeniev, Pais e Filhos.

    Acho que essa citação vem a calhar.

    • Certamente.

      É primordial para o ser humano evoluir travar-se em uma luta existencial acerca da força motriz de suas ações, mas apegar-se incessantemente e justificar sua falta de essência com tais argumentos é claramente um atestado de covardia magna.

    • Amém, meu grande amigo. Obrigado, Fábio, saudades das nossas interações no Ask, você foi uma das pessoas que guardo grande lembrança.

      Te desejo tudo de bom e fico agradecido pelo elogio, é deveras importante vindo de sua pessoa.

      Grande abraço!

  2. Como o Fábio disse anteriormente o texto é belíssimo.
    Confesso que já havia lido o texto há alguns dias e hoje voltei para ler novamente.

    O seguinte trecho chamou a minha atenção, já na primeira leitura, e desde então tenho pensado na importância de se ter consciência disso:

    “[…] mas sim se você está realmente aproveitado seu processo de vida para aproveitar as sensações oriundas de melhorar como ser humano.”

    Parabéns pelo texto.
    E por favor não importa quanto tempo demore, nunca deixe de postar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s