Lutar

E passa na sua cabeça às vezes a vontade de desistir. Mas rapidamente, alguns poucos, se recompõem e logo brandam:

Vencerei!

Até a próxima derrota. Aí vem a desolação, o auto-questionamento, a paralisia. Então grita-se mais uma vez no íntimo:

Um dia minha hora vai chegar! Plantar agora para colher amanhã!

Passam-se os anos. Algumas alegrias, muitas decepções, tristezas, sonhos perdidos no vasto limite do cotidiano que oprime nossa glória lentamente galgando por cada fraqueza nossa – a preguiça, o conforto, o medo. Meio desconfiado, ainda branda dentro de si:

Estou mais experiente, cada derrota é um degrau para minha vitória. Vencerei!

E eis que vem chegando a vida adulta, a crise dos 40, a velhice… todo aquele muro de expectativas vem à tona, o sentimento de impostor – e não há mais tempo para protelar, para adiar – você sente o leito de morte próximo e que sua vitoria ainda não chegou. E agora? O desespero. O sentimento de abandono. A vontade de morrer. É neste ponto que a maioria desiste da ‘vida’ e sobrevive. Cada um no seu limite, mas chega uma hora que não importa mais nada, você só quer não pensar em mais nada. Não importa mais o verbo vencer, ele tornou-se amargo. Passará todos os dias em lamentação e comparação silenciosa, afogando-se em qualquer coisa que lhe dê prazer e algumas mentiras aceitas pela sociedade para confortar-se:

Não consegui o que queria, mas olhem! Fui um bom pai, sou um bom amigo, tenho dinheiro, consegui X, sou Y!!!!

E eis que a maioria, ignorante e alheia a sua verdadeira natureza que por anos centelhou uma chama no seu coração, aplaude e, para ti, já basta. O ego regojiza, a aprovação alheia te dá um senso de pertencimento que, biologicamente e mediocrimente você aceita, de bom grado.

Vou te dar uma ideia, um conceito, algo hoje, meu caro. Preste atenção, abra bem os olhos: Vencer ou perder não importa, o que importa é continuar lutando até não aguentar mais. Nada mais importa. Não importa o quanto você tentou, o quanto você ganhou, o quanto você perdeu, nunca vai existir um final até você morrer. Sempre há algo, esta é a verdade – não importa o quanto você minta para si próprio. Então, se você, todos os dias, paulatinamente, só pensar em continuar lutando não obstante o que – mesmo sem uma perna, mesmo mudo, mesmo depois de um AVC, depois de falir, depois de ser traído, depois de perder alguém querido, dentro de você já jaz um vitorioso.

LUTE!

Não existe segundo lugar, é verdade. O primeiro é o que fica na memória, é para onde vão os louros, é o lugar que mostra o VENCEDOR, certamente. Mas este vencedor é galgado sobre os corpos, vidas e sonhos de muitos outros que tiveram, no mínimo, A CORAGEM DE SE PREDISPOR A LUTAR. E ISTO é o que importa. Porque a motivação de não desistir, de se expor ao ridículo, de superar-se cria lendas. Talvez você não seja a lenda, mas você galgará uma. Você, buscando ser melhor, elevará o patamar de TUDO ao seu redor – a mediocridade passará longe de sua porta. Certamente você sofrerá mais, terá mais dores, medos, mais despedidas, mas, o que importa?

LUTE!

Nada mais importa. Seu nome, seu endereço, sua preguiça, se você nasceu pobre ou rico, nada importa. Para um indivíduo que aceita indefinidamente lutar, não importam as apostas porque tanto faz, ele irá lutar. Não importa quantas vezes caia, ele irá levantar. Não pela vitória em si, mas para não baixar o nível. Para impedir a mediocridade em si e no mundo. Lutar para ser melhor, ter uma EXISTÊNCIA mais elevada. Nada mais importa.

E assim, ao envelhecer, você pode encontrar-se na pior situação possível, algo dentro de si te garantirá paz: você sempre foi um lutador, por esta luta, a morte, você já está preparado. Ela é o seu descanso merecido. Sua benção depois de tanto vivido, tentado, lutado. Morrer depois de uma vida de infinda luta é uma benção, um presente que Deus deixa para todos, mas só os que realmente dignificaram o Criador com a benção de viver realmente a vida sentirão que é um presente. E, mesmo assim, não aceitarão de bom grado, pois, cravado em seu espírito, a ferro e fogo, estará somente uma coisa:

LUTAR!

Anúncios

5 pensamentos sobre “Lutar

    • Eu não sabia que você participava do fórum, este tempo todo sem ter a mínima ideia, kkkk.

      Você e Hércules são dois grandes dos blogs, lê-los é uma coisa magnânima. Curioso de quem seria você lá, já que aqui usa seu nome comum.

      Quem sabe, Daniel… me deixou pensativo. Quem sabe…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s